End.
R. Antônio Cruz Maia, 129, Stª Helena - Belo Horizonte - MG
Tel.
31 3382.3448 | 31 9 8724.3448

GESTÃO DO ATIVO
ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO

GESTÃO DO ATIVO

Nossas atividades de Engenharia de Manutenção visam dar suporte no estabelecimento da estruturação e controle da disponibilidade da função manutenção de ativos físicos, nos segmentos; industrial, elétrico, aeronáutico, sucroalcooleiro, entretenimento, hospitalar, predial, frota e serviços. 

Nossa equipe atua de forma a proporcionar confiabilidade operacional do processo aplicando metodologia científica para possibilitar o conhecimento da performance do ciclo de vida dos produtos, máquinas, equipamentos,  e plantas; de modo a assegurar que os mesmos desempenhem seu papel por determinado período de tempo nas condições esperadas.

Nosso trabalho proporciona a busca da confiabilidade com o exercício da Gestão de risco do ativo físico, considerando as ferramentas estatísticas que auxiliam na utilização da metodologia de construção da Confiabilidade Operacional do Processo.

Alguns de nossos serviços:

• Modelagem por elementos finitos
• Análise estrutural 
• Confiabilidade estrutural
• Diagnóstico em manutenção
• Implantação de sistema de monitoramento de desempenho dos processos
• Auditoria em manutenção industrial
• Análises de confiabilidade
• Implantação de confiabilidade 
• Planejamento e controle de manutenção
• Desenvolvimento de procedimentos e planos de manutenção – gestão de processos
• Implantação de sistemas de manutenção
• RCM – manut. Centrada em confiabilidade
• RbM - manutenção baseada em risco
• FMEA/FMECA – estudo de modo e efeito de falha
• Análise de falha
• MASP – método de análise e solução de problemas
• TPM – manutenção produtiva total
• FTA – Análise de árvore de falha
• Lean Thinking
• Engenharia de lubrificação
• 5S Funcional

RESULTADOS
Melhoria do desempenho dos processos, diminuindo paradas desnecessárias;
Melhoria dos indicadores chave de performance dos ativos;
Adequação dos recursos empregados nos processos;
Redução de perdas por esperas, redundâncias e retrabalhos;
Melhoria por estabelecimento de programação, planejamento e padronização;
Melhoria do nível de conhecimento da equipe interna por implantação de processos e realização de treinamentos;
Otimização do ciclo de vida dos ativos;
Geração de informação e conhecimento para o monitoramento da condição do ativo.